Gaeco, em operação contra sonegação, prende dois em empresas de sucatas

Quando a Ambiental Santos alerta sobre não vender seu óleo usado para o “carro do óleo que está passando“, é justamente para evitar o fortalecimento de ações criminosas!   Na semana passada, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) prendeu duas pessoas em uma operação contra esquema de sonegação fiscal no setor de sucata em Curitiba e Região Metropolitana. Muitas destas empresas de sucatas também atuam, de maneira irregular, com coleta de óleo usado.

O Gaeco cumpriu, ainda, 12 mandados de busca e apreensão da 3ª Vara Criminal de Curitiba como parte da Operação Taregas em conjunto com a Receita Estadual.

As duas prisões temporárias (cinco dias)  aconteceram contra dois empresários que seriam os chefes da organização criminosa em duas sedes de empresas (uma em Curitiba e outra em São José dos Pinhais) e em endereços de dez laranjas (em Curitiba e em Pinhais).

A suspeita é de que 25 empresas estejam envolvidas em fraudes para gerar créditos ilegais do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).  No suposto esquema, as empresas eram formalmente constituídas em nome de testas de ferro, muitas com o mesmo endereço e com instalações comerciais dissimuladas.  Foram mais de R$ 100 milhões de prejuízo ao Estado do Paraná e os suspeitos serão investigados por crimes de sonegação fiscal, falsidade ideológica, lavagem de ativos e organização criminosa.

As informações saíram na Banda B e a Ambiental Santos reforça: descartar óleo usado somente com quem está de acordo com toda a legislação!